Title Image

Madeira

Gostamos de madeira

O nosso método

Comecámos a pensar na madeira como material de construção há alguns anos atrás. Primiero fascinou-nos a estética e o conforto expresso pelas soluções contemporâneas e tradicionais, da Noruega até ao Japão. Sempre nos perguntámos porque não construíamos em madeira em Portugal. Depois, quando começámos a investigar mais em profundidade, fomos atraídos pelo comportamento ambiental da madeira. Recentemente concluímos uma investigação em que propomos um método de projecto para ser utilizado em Portugal.

O método proposto foi desenvolvido para apoio ao projecto de casas de madeira em Portugal. Durante cerca de cinco anos, desenvolvi esta investigação no IST (Instituto Superior Técnico), com suporte do LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil). Parte do trabalho foi elaborado no Canadá onde pude observar um contexto onde a construção em madeira é um processo corrente. Inicialmente não compreendia porque em Portugal, um país com uma importante floresta não tinha uma cultura de construção em madeira. Depois verifiquei que existiam importantes razões no passado para justificar este facto, mas também concluí que os avanços na pesquisa e na indústria da madeira permitem actualmente ultrapassar os problemas do passado.

O estudo do mercado das casas de madeira e os inquéritos realizados levaram-me a reconhecer que é difícil para um cliente compreender a diversidade do universo da construção em madeira. Assim, retomei o conceito de tipologia como fundamental para auxiliar o processo de escolha do cliente. Se pretendermos fazer uma boa escolha teremos que entender a relação entre sistemas formais da arquitectura e os sistemas estruturais de madeira. Os conceitos espaciais, funcionais e simbólicos que associamos a uma casa devem adaptar-se aos sistemas estruturais que vamos escolher. A primeira fase do método consiste no processo de clarificação dos objectivos do cliente, seguidos da escolha das soluções tipológicas mais adequadas.

O estudo prévio de uma casa de madeira seguirá as definições tipológicas estabelecidas na fase anterior. A concepção de uma solução deve seguir uma ordem específica, onde a integração entre factores formais e técnicos é fundamental. Por exemplo, é importante que a grelha estrutural que definirmos se adeque bem à solução espacial, especialmente quando lidamos com componentes lineares. A definição da envolvente construída deverá ser pensada em consonância com a estrutura proposta. Todos estes e outros procedimentos podem ser optimizados pelo recurso a software BIM. Utilizamos o Archicad como uma ferramenta de desenho que nos permite verificar as relações acima mencionadas.

O sucesso de um processo de projecto reside em grande parte no processo de escolha. Projectar implica definir alternativas e escolher a que melhor responde ao problema definido. Esta é também uma procura da solução que melhor serve o cliente. Assim, propusemos o uso de um método de avaliação multicritério onde se integram diferentes julgamentos ponderados (preço, durabilidade, arquitectura, ambiente), relacionando-os com níveis de comportamento, permitindo obter a melhor escolha. Para ser eficaz, o método subentende uma definição de critérios e de pesos a associar a cada um dos anteriores, estabelecidos especificamente para cada cliente e cada contexto.

Ainda que cada sistema de construção tenha potencialidades e limitações próprias, definimos um sistema que apoia ao projecto de modo a garantir a obtenção da qualidade pretendida. Para além do uso de procedimentos particulares, consideram-se estratégias gerais de projecto que guiam o processo através de um sistema de verificações sucessivas. Definiram-se três estratégias consideradas essenciais para a construção em madeira: Durabilidade, Integridade construtiva e economia. A durabilidade é um dos aspectos mais importantes. A integridade construtiva relaciona-se com a anterior, mas incide sobre as ligações entre componentes. Finalmente, quando se definem os materiais e os componentes de madeira, importantes economias podem ser conseguidas se se tiver em conta o mercado e se se conhecerem as lógicas dos produtos de construção.

Vantagens

A quem recorrer quando se pensa em construir com madeira? O nosso método baseou-se na observação das diferentes possibilidades que se apresentam aos interessados na construção em madeira. Sabemos as vantagens e limitações que se retiram dos serviços directos de uma empresa de casas de madeira ou, num campo oposto, de um contrato com um arquitecto, escolhido com base nos seus dotes para o design. Há excelentes empresas de casas de madeira, sendo essa a opção lógica se o que se procura é uma solução normalizada. Por outro lado Portugal é conhecido pela qualidade do design dos seus arquitectos, em especial dos mais mediatizados. Se o seu orçamento não é limitado e se prescinde da sua intervenção no projecto, esta também poder ser a solução adequada. Por outro lado, se procura um arquitecto que ofereça um projecto ``low-cost``, esse pode ser um erro fatal, especialmente no âmbito da construção em madeira. O nosso método distingue-se de todas as situações anteriormente descritas. Gostaríamos que confiasse em nós porque acreditamos que podemos oferecer as seguintes vantagens:

Satisfação do cliente - O cliente é envolvido no processo de escolha de forma sistemática.

Personalização - O projecto é personalizado de forma a resultar numa solução final única.

Qualidade formal - A abordagem tipológica contribui para garantir a integridade arquitectónica.

Qualidade construtiva - Recorrendo a procedimentos e estratégias de projecto garante-se uma boa construção.

Independência das empresas - Embora se colabore com as empresas, não se limitam as escolhas a apenas uma.

Trabalhar com um profissional empenhado - A Arquitectura exige competência e paixão.

Principais sistemas

Um dos mitos sobre a construção em madeira consiste em considerar a construção em madeira como um universo único e estanque. Tal não é correcto, diferentes sistemas comportam diferentes lógicas e condições específicas. Algumas pessoas pensarão usar madeira porque sentem o apelo dos materiais naturais e dos métodos tradicionais. Outros pensarão na madeira pela forma extraordinária como ela pode expressar modos de vida contemporâneos, com simplicidade e clareza. Por vezes a madeira é escolhida pela vantagem económica que pode trazer ou pelas prestações técnicas relacionadas com a sua leveza. Em alguns casos a madeira será a solução mais dispendiosa, apenas disponível para aqueles que forem abonados com um orçamento flexível. A madeira pode responder a todas estas exigências. Assim, será importante entender que a madeira é uma material aparentemente simples, mas não deverá nunca ser abordado de forma simplificada. Apenas como referência listamos de seguida os quatro principais sistemas de construção em madeira:

O sistema de reticulados leves (wood frame) é o mais genérico. Adapta-se a uma grande variedade de soluções formais. É a solução mais simples e económica.

O sistema de toros (log home) expressa a madeira da forma mais autêntica. Se procura os valores da natureza este será o sistema adequado.

O sistema porticado (post and beam) é provavelmente aquele que resulta em soluções mais elegantes. Se pretende espaços abertos e flexíveis este é o ideal.

Os painéis lamelados cruzados colados (CLT) são a solução mais inovadora. Se pretende um carácter contemporâneo e comportamento superior, esta é a escolha.